terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Conexão Jornalismo - Clóvis ou Bate-Bola – Tradição do subúrbio

Os Clóvis, nome derivado de clown, que significa palhaço em inglês, ou bate-bola, são as fantasias dos tradicionais personagens do carnaval do subúrbio do Rio. Vestidos com macacões multicoloridos e armados com uma bexiga de boi amarrada a um pedaço de madeira, eles tanto são o terror como a alegria das crianças. Batendo as bolas no chão, eles esperam um momento de distração para aplicar um susto nos passantes.
Leia mais

Acredita-se que o surgimento do Clóvis no Brasil teria sido no bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, no início da década de 1920. Naquela região, existia um matadouro de bois, que seria o principal fornecedor das bexigas.
Na época, funcionários alemães que trabalhavam na construção do Hangar do Zeppelin, também em Santa Cruz, usavam macacões largos, por causa do calor, geralmente com cores vibrantes, em sua maioria cor-de-abóbora, e faziam muita algazarra, principalmente na saída do trabalho. No carnaval, os moradores da região se vestiam com macacões, imitando os alemães.
Atualmente, os Clóvis saem em grupos que chegam a até 200 componentes. Eles são identificados como as turmas de “bexiga e bandeira”, que usam desenhos de personagens agressivos para causar terror, e os de “bichinhos e sombrinhas”, que preferem estampas de personagens infantis para atrair as crianças.
As fantasias são feitas de cetim e adornadas com lantejoulas, paetês, arminhos, espelhos e outros acessórios, comprados em lojas, algumas especializadas no ramo. Eles também usam máscaras, a exemplo das manifestações artísticas na Europa desde a antiguidade.

3 comentários:

  1. Até hoje tenho medo! Mas eh impossível um carnaval sem eles...

    ResponderExcluir
  2. Eu também.

    KK Dourado

    ResponderExcluir
  3. show !

    todo ano eu saio de bate bola , desde criança .Hoje tenho 34 anos e meus filhos tambem sai!!!

    BRICIO TSJ

    ResponderExcluir